30.9.15

Unitasking

I’ve been studying the psychology of online connectivity for more than 30 years. For the past five, I’ve had a special focus: What has happened to face-to-face conversation in a world where so many people say they would rather text than talk? I’ve looked at families, friendships and romance. I’ve studied schools, universities and workplaces.

27.9.15

Todo mundo come, todo mundo morre

Like everyone else, I believe every word in those articles. And when my gaze reaches the fifth paragraph, the one that inevitably quotes the university professor who has conducted the latest fear-inducing study, I nod slightly and tell myself that somehow I knew it all along, that I always had a feeling that this meat, or that vegetable, was quickening my demise.

Which is strange because at the same time, I believe that food is keeping me alive.

23.9.15

Quero as minhas em bacon

Comidas que têm 200 calorias em imagens.

Gente que vale muito

A Época publicou uma matéria sobre os medicamentos que o SUS só fornece por ordem judicial. É um texto estranho, que tenta chamar a atenção para a "injustiça" de alguns pacientes terem mais recursos destinados a si do que dezenas de outros anualmente. Por outro lado, as declarações dos políticos ligados à saúde citadas são bestiais - como chamar de "indústria" advogados que se especializam em conseguir os remédios receitados e dar a entender que os médicos só receitam esses tratamentos porque recebem subornos das farmaceutícas.

No caso particular do personagem da matéria, a coisa se complica um pouco: há um outro tratamento possível e mais barato: o transplante de medula. Embora também não sej simples, não é como se a única alternativa para ele fosse receber 800 mil em medicamentos anualmente. Talvez fossem necessárias regras mais claras para determinar que caminhos o paciente devesse percorrer antes de ter acesso a esses medicamentos mais caros.

É fato que o dinheiro sai de algum lugar e que não é infinito. Mas acusar esses pacientes de cometerem alguma injustiça é absurdo: não é somente por falta de recursos que o Brasil ainda lida com doenças facilmente curáveis ou tratáveis.

Departamento de Aquisições



A descoberta do ano

A terceira legenda universal para os cartuns da New Yorker.

21.9.15

Com carne de verdade!

Imagine uma entrevista com o chef do restaurante mais comentado de 2081 - um lugar especializado em comida típica do Brooklyn no final do século XX. Parte de uma edição da Eater sobre o futuro da comida.

Migrações

Há anos Umberto Eco observa e comenta a questão das migrações. Um grande fã da União Europeia, ele fala do problema neste momento.

18.9.15

Supertrunfo da opressão

Sociólogos identificam dois tipos de sociedades: sociedades de honra - nas quais as ofensas são respondidas pelo ofendido, muitas vezes com violência - e sociedades de dignidade - onde os ofendidos ignoram as ofensas, passam a evitar o agressor ou recorrem à lei em casos extremos.

Este artigo propõe que um terceiro tipo está surgindo: a sociedade da vitimização.



12.9.15

Uma praga do mundo moderno

Tsundoku: comprar livros que se empilham pela casa, sem lê-los.

1.9.15